ORISA AGANJÚ


Aganjú não é Sango, mas seu culto muito ligado ao dele. Vamos conhecer esse Orisá!


Aganjú não é qualidade de Sango, ele tem um culto a parte e tem suas próprias qualidades/Caminhos.

QUALIDADES DE AGANJU:
Dizem que cada um destes foi uma encarnação do Orisá e que Sango pode ter sido um destas reencarnações:

*AGANJÚ AGARÍ: É o mais velho, dizem ter ajudado Ogun e os Funfun na criação do mundo, este é o filho de OROINÁ, que é a alma que habita o fogo.

*AGANJÚ KINIGÜA: Foi ele quem criou as estrelas, é fundador da família dos orisás do fogo. Filho de Yemú e Oduduwa, é o mais saudado na Nigéria.

*AGANJÚ SOLÁ: É filho de Yabá Ibain, ela o pariu dentro de uma fogueira. É um Orisa vaidoso e festeiro, habita Savé e as terras de culto a Nanã.

*AGANJÚ ALAFIN: O mais novo, que nasceu filho de Ajaká após a morte de Sango. Foi o Sexto Alafin de Oyó e dizem ser a reencarnação de Sango Barú, chamado também de Sango Aganju ou Obaganjú.

Não importa a qualidade, Aganju só come com as Yabas : Y'Obba Annaní, Oya Akará, Osun Ipondá, Yemonja Asesun, Nanã Ibain.

Itan:
AGANJÚ SE APAIXONA POR YEMONJA.

Oduduwa e Yemú deram origem a muitos deuses antes de Yemu gerar os Sete príncipes das capitais da Nigéria antiga.
Antes disso, de Yemú nasceram Ogun e Aganjú, isso ainda no tempo em que a terra não girava, era parada sob o sol.

Um dia Yemú pediu que Aganjú viajasse até as terras de sua irmã para ver como ela estava. 
Aganjú ao ficar cara a cara com sua tia Yemonja, ficou extasiado com a beleza dela e ela também sentiu um forte sentimento por ele, foi amor a primeira vista.

Aganjú pegou a mão dela e quis levá-la para longe, ele a levou para o Ile Orenya (Centro da terra) e ela aceitou ir, eles então estavam casados. Nesse momento o Asé quente de Aganju e o Frio de Yemonja geram o Ibu Aganá (eixo sobre que a Terra gira) e então o mundo começou a girar. Ao perceberem a grandeza do que tinham gerado, eles agradeceram a Olodumaré pelo seu dom de ter mudado o mundo.

Sozinhos no centro da terra eles começaram uma das mais belas aventuras de amor vividas no tempo dos Orisás.
Aganjú que nunca havia tido uma relação sexual antes, era virgem e sentiu-se surpreendido com a experiência do amor. Yemonja foi capaz de ensiná-lo o sentido pleno da palavra IFÉ (Amor ).
Ao mesmo tempo Yemonja foi surpreendida por sua vitalidade e virilidade, como ele foi um bom aluno ele aprendeu rapidamente!

A relação desses dois Orisás trouxe movimento da terra e com isso as quatro estações climáticas.
O amor deles só trouxe benefícios para humanidade.

Um dia Yemonja quis voltar para o seu rio, mas ela não poderia se separar de Aganjú. O jeito foi carrega-lo para o fundo do Rio Yemonja.

Quando Alafin Sango passava pelo rio Yemonja, ele dançava sobre as águas sem afundar, dizem que ele dançava em honra a Aganjú, que é ancestral de sua família, e ao dançar ele Cantava:
"Oba Nisa ore lo Oke Odô...
Oberi Omó... Oba Nisa ore lo Oke Odô... Oba Ko so Ayo..."

"O Rei está dançando sobre as águas do rio, diante de seus filhos, essa é a vontade do rei que não morreu".

O símbolo de Aganjú é seu machado de cobre e esse símbolo ele compartilha com Sango.

Tudo de Aganju é vermelho!

Kabiecile!

Nenhum comentário: