O MAIOR AMOR DO MUNDO É O AMOR DE OYÁ.


Oyá é chamada T'okan Odara, o bom coração.

Oyá amava Sango, mesmo com a vida conturbada e o amava muito.
Ela se relacionou com muitos homens, mas somente Sango tinha seu amor.

Sango não era o Rei legítimo da cidade de Oyó e quando Ajaká vem para recuperar seu lugar e destronar Sango, ele se desespera pois sabia que o seu destino seria ser tratado como um ladrão. 
Sango prefere a morte do que a humilhação e então se suicida se enforcando em um pé de Obí.

Oyá perdeu seu grande amor.
Ela então tenta de todas as formas encontrar a alma de Sango em algum dos Nove Oruns que ela comandava, mas a alma de um suicida não tem rumo, ela não o achou.

Oya havia ganhado um Asé, sua comida Akará (Acarajé), o bolinho de feijão  frito em azeite de dendê que ela abençoava e seus filhos comiam em honra ao ato de Oyá engolir brasas.
O Akará é o símbolo de Oyá. (NÃO CONFUNDI COM INHAME CARÁ)

Oyá então fez um Akará branco, frito em óleo claro e junta os bolinhos em um cesto junto com suas folhas e sobe no topo de um monte.
Oyá iria oferecer o seu Asé para Olodumare, grande Deus.

Em meio as lágrimas, ela implorou a Olodumare que a deixasse ver Sango, pelo menos uma última vez, ela entregaria tudo que tinha para poder ver Sango.

Olodumare nunca tinha visto um Orisá se humilhar daquele jeito, Oyá estava oferecendo todo seu Asé em troca de estar com Sango por mais um momento.

Oyá não parava de chorar e implorar. Seu desespero causou um sentimento de compaixão em Olodumare.

Olodumare então disse a Oyá:
"Acalme-se Yabá! 
Nunca houve um amor como este em todo o Orun e em todo o Ayê! 
Oyá é bendita por ter tanto amor dentro de si e Sango será bendito por ter sido agraciado com tanto amor."

Olodumare trouxe Sango do mundo dos mortos e lhe devolveu a vida e o Asé de Orisá.
Graças a Oyá, Sango voltou a ser Orisá.
Agora Sango ama somente a Oyá e ela o ama com todas as suas forças.

Nas trovoadas eles dançam juntos sobre as nuvens escuras.

Oyá é feita de amor.
Os candomblés que cultuam Oyá, oferecem a ela uma grande festa no mês de setembro ou dezembro chamada Akará L'Oya, nesta festividade se louva Oyá em todas suas ações e então umas das últimas cantigas relatam a história contada aqui.
Se canta:
"OYA AGBA MI SORO MI SORO Ê 
AKARA FUNFUN EBÓ EMI ARÊ
OYA AGBA MI SORO MI SORO Ê 
AKARA FUNFUN EBÓ EMI ARÊ
TOKAN TOKAN 
ELENU Ê 
OJÉ MALA OJE ARÊ 
TOKAN TOKAN
OBA KO SO NITA WE SE ARÊ"


Quando uma filha de Oyá sofre por amor, Oyá a entende e a conforta.

Oya é a Yabá do bom coração.

Hepa Hey!




Nenhum comentário: