YEMOWÔ



Yemowo não é Yemonjá, elas são da mesma família mas não são as mesmas.

O nome Yemowô vem de "Iyè mí owó" que significa Iyè (mãe) Mí /(minha) owó(dinheiro), ou seja: Mãe que nos cobre com o dinheiro.

Yemowô nasce no Odú Irosun (4-4).
Yemowo é senhora da família, esposa de Obatalá. Em seu Ibá vão conchas e cascos de caracóis e uma grande quantidade de Búzios, ela exige nove Otás que representam os Deuses que a acompanham.

Toda a vida de Yemowo é ao lado de seu Marido Obatalá (não confundir Obatalá com Olufon).
É a ancestral das Yabás da casa de Obatalá, sua filha predileta é Y'Obba Ananní.

Se conta que Olorun criou Obatalá e Oduduwa juntos e os colocou dentro de uma cabaça. Após muitas brigas eles saíram de dentro da cabaça e conheceram Orunmilá. Ao explorar a terra, eles então conheceram Olokun, a Deusa das águas. 
No fundo das águas Olokun deu a luz a Yemowo e Yemú e Yemonjá. 
Yemú se casou com Oduduwá, Yemowo se casou com Obatalá e Yemonjá se casou com Orunmilá. Por serem Yabás da Água, Yemú se tornou a deusa dos poços que minam água, Yemonjá a deusa do rio e Yemowô a deusa da água que envolve os bebês na gestação.

Yemowô é tão importante na Nigéria, que no festival de Osun, as sacerdotisas levam presentes até o templo de Yemowo para agradecer pela fertilidade.

O amor de Yemowo e Obatalá é algo surpreendente, em uma passagem ele se casa com Osun, pois era hábito ter mais de uma esposa, porém o amor que ele tinha pertencia somente a Yemowô, por isso ele decide ser só dela e rompe com Osun. Veja:

"Òrìs àálá ri on’igba aiya n’lè k’ó too f’o wó mu Yemòwo nìkan.”

Tradução:

“O grande Orisá vê a possibilidade de casar com duzentas mulheres, mas ainda assim é apenas de Yemòwo."


ITAN:

Quando Obatalá desceu para o Ayê, ele veio acompanhado de outras divindades, masculinas e divindades não humanas. Então Obatalá desceu ao fundos das águas e encontrou uma serpente gigantesca com rosto humano, seu nome era Olokun, a dona do oceano. 
Olokun era hermafrodita e podia gerar vida sem a necessidade de ter relação sexual com alguém. 
Se conta que no fundo das águas, Olokun teve sua primeira filha, a primeira mulher do mundo e a ela deu muitas riquezas e a batizou de Yemowô.
Yemowo se casou com Obatalá e nunca mais se separou dele. 
Durante dezesseis dias consecutivos ela pariu os Orisás da casa de Obatalá. 
Yemowô é a primeira Yabá.
Após Yemowo, nasceram de Olokun Yemú, Yemonjá, Akadumé, Olosá , Anabí, Ajê Salugá, Torô e as demais deusas das águas, mas Yemowo é sempre reverenciada como Agbá (anciã).

No Brasil são raros Yaôs de Yemowô, ou as vezes a cultuam como caminho de Yemonjá, mas ela tem cantigas e atos próprios, como Yemowo dançando diante de Obatalá o Batá "Yemòwó Omóòwo Omóòwo Agbá yín ô" (Yemowo è a senhora dos Bebês/crianças de colo), ou ela saudando seu nascimento no Batá "Emi Agba Biyi Olokun" (Eu sou a anciã que nasceu de Olokun).

Yemowo é Funfun, se veste de branco e tem um Irukê e um Abebé para simbolizar sua realeza.

Arquétipo das Yaô/Elegun de Yemowo:
Os que nascem sob o Asé de Yemowo, são pessoas inteligentes e realista em seus objetivos e sonhos. Planejam bem como guiar suas vidas. 
Eles tendem a saberem exatamente o que precisam e o que é supérfluo, sendo comedidos e até sovinas. 
São companheiros e afetuosos, muito ligados a família e amigos. 
Eles não são maliciosos, gostam de uma vida em casa, pacata. 
Muitas vezes os filhos de Yemowo por terem boa fé e uma certa ingenuidade, se tornam vítimas da falsidade dos demais.

Ibá Yemowô!




Nenhum comentário: